Cidadania no ar
Busca:

RIO

FÁBIO PORCHAT – O Estado de S.Paulo

Ouçam o que eu estou falando: o Rio Tietê ainda receberá uma Olimpíada. É um rio limpo e cristalino, que, hoje, orgulha os paulistanos e os brasileiros. Um rio que recebe nadadores, remos, crianças e famílias. O Rio Tietê é o rio do Brasil. Esqueçam o Amazonas. Pensem no Rio Tietê! Muita gente fala que ele anda recebendo algum tipo de poluição, mas é mentira. Todo o rio no mundo está sujeito a esse tipo de contaminação natural. Eu disse, natural.

Não é porque ele está recebendo esgoto clandestino em alguns trechos que você pode afirmar que ele inteiro está contaminado. São alguns pontos que recebem o despejo de esgoto ilegal, mas que a prefeitura e o governo já estão tomando as medidas legais para sanar esse tipo de absurdo. Um rio que é a cara de São Paulo, um rio que representa a vida de nossa cidade não pode se sujeitar à podridão de algumas pessoas e empresas que insistem em não respeitar o meio ambiente. É verdade que alguns trechos já não são mais limpos, mas isso é um momento de transição da metrópole como um todo. Toda grande capital passa por transformações e alguns sacrifícios são necessários para o seu desenvolvimento.

É por isso que o Rio Tietê não se encontra mais apto para banho como um todo, mas isso é uma questão de tempo até as autoridades responsáveis começarem a tomar as devidas providências. Uma empresa canadense e uma francesa já começaram a despoluí-lo. Isso pode variar entre um ou dois anos, mas no prazo máximo de três anos, teremos o Tietê de volta. Claro que a burocracia em relação às medidas pode atrasar a data definida mais uma vez, mas ainda há tempo e estamos fazendo de tudo para que isso se resolva.

O fato de hoje o mau cheiro tomar conta dos arredores é uma coisa que incomoda a todos nós, cidadãos, sim, mas cada vez mais estamos correndo contra o tempo para resolver o problema. Hoje é um rio sólido, com dejetos naturais e industriais, um rio químico que não tem mais vida, onde a água não tem mais oxigenação, mas existe uma série de tratamentos possíveis para revertermos esse quadro e isso já está na pauta para as próximas reuniões de governo. Pode não ser durante esse mandato, mas com certeza pro próximo teremos um Tietê já pronto pro futuro.

Uma empresa espanhola e uma australiana já começaram a despoluí-lo. Eu afirmo que, hoje, mesmo com os alagamentos, e as doenças que ele transmite, o Rio Tietê tem esperança. Uma empresa japonesa e uma alemã já estão trabalhando para despoluí-lo. Ele estará limpo em pouco tempo! Claro que o fato de pensarmos em cobrirmos o Tietê com concreto, não o inutiliza como rio em si, mas, sim, prepara-o para o futuro, como um alargamento das Marginais. Se, hoje, já não existe mais o Tietê, é porque o rio não soube se adequar a essa cidade e não soube se transformar, como todos nós. O Rio Tietê foi um rio e um rio maravilhoso! Secou, sumiu, mas nunca será esquecido, porque deu lugar a essa enorme avenida. Uma salva de palmas ao Rio Tietê que desde 2014 nos deixa saudades.

O Estado de São Paulo, 15 de dezembro 2013

Os comentários estão fechados.

Cidadania no ar - todos os direitos reservados