Cidadania no ar
Busca:

Que tal uma risada?

« Posts Mais Antigos

FRANCESA

sábado, 24 de junho de 2017

Um homem vai se despedir da sua esposa que vai a Paris. Quando ela está embarcando, na frente de todo mundo, ele grita:
– Amor, não se esqueça de me trazer uma linda francesa.
Ela embarca furiosa.
Depois de uns dias, o marido vai recebê-la.
Ao vê-la chegar, grita:
– E aí amor, me trouxe a francesa?
– Fiz o possível, agora temos que rezar para que nasça uma menina.

Enviada por Toufic Efeiche, São Paulo – SP

 

MEIA, MEIA OU MEIA???

sábado, 8 de outubro de 2016

Meia, Meia ou Meia???

A língua portuguesa é uma das mais difíceis do mundo, até para nós.

O português praticado no Brasil…

*Na recepção dum salão de convenções, em Fortaleza*

– Por favor, gostaria de fazer minha inscrição para o Congresso.

– Pelo seu sotaque vejo que o senhor não é brasileiro. O senhor é de onde?

– Sou de Maputo, Moçambique.

– Da África, né?

– Sim, sim, da África.

– Aqui está cheio de africanos, vindos de toda parte do mundo. O mundo está cheio de africanos.

– É verdade. Mas se pensar bem, veremos que todos somos africanos, pois a África é o berço antropológico da humanidade…

– Pronto, tem uma palestra agora na sala meia oito.

– Desculpe, qual sala?

– Meia oito.

– Podes escrever?

– Não sabe o que é meia oito? Sessenta e oito, assim, veja: 68.

– Ah, entendi, *meia* é *seis*.

– Isso mesmo, meia é seis. Mas não vá embora, só mais uma informação: A organização   do Congresso está cobrando uma pequena taxa para quem quiser ficar com o material: DVD, apostilas, etc., gostaria de encomendar?

– Quanto tenho que pagar?

– Dez reais. Mas estrangeiros e estudantes pagam *meia*.

– Hmmm! que bom. Ai está: *seis* reais.

– Não, o senhor paga meia. Só cinco, entende?

– Pago meia? Só cinco? *Meia* é *cinco*?

– Isso, meia é cinco.

– Tá bom, *meia* é *cinco*.

– Cuidado para não se atrasar, a palestra começa às nove e meia.

– Então já começou há quinze minutos, são nove e vinte.

– Não, ainda faltam dez minutos. Como falei, só começa às nove e meia.

– Pensei que fosse as 9:05, pois *meia* não é *cinco*? Você pode escrever aqui a hora que começa?

– Nove e meia, assim, veja: 9:30

– Ah, entendi, *meia* é *trinta*.

– Isso, mesmo, nove e trinta. Mais uma coisa senhor, tenho aqui um folder de um hotel que está fazendo um preço especial para os congressistas, o senhor já está hospedado?

– Sim, já estou na casa de um amigo.

– Em que bairro?

– No Trinta Bocas.

– Trinta bocas? Não existe esse bairro em Fortaleza, não seria no Seis Bocas?

– Isso mesmo, no bairro *Meia* Boca.

– Não é meia boca, é um bairro nobre.

– Então deve ser *cinco* bocas.

– Não, Seis Bocas, entende, Seis Bocas. Chamam assim porque há um encontro de seis ruas, por isso seis bocas. Entendeu?

– Acabou?

– Não. Senhor é proibido entrar no evento de sandálias. Coloque uma meia e um sapato…

– ???????

enviada por Denise Rocha, São Paulo – SP.

DEZ VEZES???

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

A professora da 6ª série perguntou para a sua turma:

– Qual é a parte do corpo humano que aumenta quase dez vezes seu tamanho quando é estimulada?
Ninguém respondeu, até que Natasha levantou furiosa e disse:

– Você não deveria fazer uma pergunta dessas para crianças da 6ª Série!
Pois eu vou contar para meus pais e eles vão falar com o diretor e, este vai demitir você, com base no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) !!
E ainda vai chamar o Conselho Tutelar pra te prender, tá?

Para o espanto da Natasha, a professora não apenas a ignorou como fez a pergunta novamente:

– Qual é a parte do corpo que aumenta em dez vezes seu tamanho  quando é estimulada? Alguém sabe?

Finalmente, Rodrigo levantou-se, olhou ao redor, e disse:
– A parte do corpo que aumenta dez vezes seu tamanho quando é estimulada é a pupila.

A professora:
– Muito bem, Rodrigo!!!
Então, voltou-se para a Natasha e continuou:

– E quanto a você, ‘mocinha’, tenho três coisas para lhe dizer:
A primeira é que você tem uma mente muito suja para sua idade.
A segunda: você não leu a sua lição de casa: ‘Os Sentidos’…
E a terceira:… DEZ VEZES ??? (hahahahahaha) … Um dia você vai ficar muito, mas muuuuuuuito decepcionada , viu?
enviada por Heloise Del Nero, Itatiba – São Paulo

OS PATRÍCIOS

terça-feira, 30 de junho de 2015

1. Como identificar um estudante português?
Ele copia tudo o que a professora escreve no quadro e quando ela apaga o quadro, ele apaga tudo no caderno também.

2. Como identificar um estudante português menos burro?
Ele não copia nada no caderno porque já sabe que a professora vai apagar mesmo.

3. Como português faz leite em pó?
Congela o leite e depois rala.

4. Como você descobre que a padaria do português foi informatizada?
Ele usa um mouse atrás da orelha.

5. O que fazem 17 portugueses na frente do cinema?
Esperam mais um português, pois o filme é proibido para menos de 18.

6. O que tem escrito na sola do sapato do Português?
‘Este lado para baixo’.

7. Por que o carro elétrico não deu certo em Portugal?
Porque nos primeiros cem metros a tomada soltava.

8. Por que o Joaquim não molha a cabeça antes de passar o xampu?
Porque ele usa xampu para cabelo seco.

9. Por que o Manuel guarda uma garrafa vazia na geladeira?
Porque sempre aparece alguém que não bebe nada na casa dele.

10. Por que o Manuel só usa roupa molhada?
Porque na etiqueta vem escrito: ‘lave antes de usar’.

11. Por que o português assiste comédia na última cadeira do cinema?
Porque quem ri por último, ri melhor.

12. Por que o português coloca pastel dentro do leite?
Porque ouviu dizer que é melhor o leite ‘pastelrizado.

13. Por que o português levou uma escada para o restaurante?
Para comer peixe na telha.

14. Por que o português não pega ônibus?
Porque está escrito: ‘Mantenha distância’.

15. Por que o português não toma banho na primavera e no outono?
Porque o chuveiro dele só tem a chave Inverno/Verão.

16. Por que os portugueses deixam a televisão ligada o dia inteiro nos fins de semana?
Para quando for segunda-feira eles assistirem à ‘tela quente’.

17. Por que os portugueses não fecham a porta quando vão ao banheiro?
Para não olharem pelo buraco da fechadura.

18. Porque os portugueses não usam queijo ralado no macarrão parafuso?
Farinha de rosca combina mais.

19. Qual a diferença do vinho português para os outros vinhos europeus?
Embaixo da garrafa vem escrito: ‘a rolha é do outro lado.’

20. Um clube pegou fogo em Portugal… Morreram todos carbonizados. Sabe por quê?
Não deixaram os bombeiros entrar porque eles não eram sócios.

Nilton Nazar, São Paulo – SP.

KLA – Palestra Motivacional

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Ó PEDAÇO DE MIM…

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

 

 

Sempre que ouço aquela música do Chico, “ó pedaço de mim, ó pedaço arrancado de mim”, me bate uma deprê braba. Lembro da minha infância e acabo voltando no tempo.

Estava eu deitado no meu bercinho, ainda com uma semana de vida, quando começou a chegar gente em casa.  Era dia de festa.  E festa de judeu lembra muito reunião do PSDB: só tem tucano. Cada nareba que não tem mais tamanho.

Mamãe convidou só 30 pessoas, mas como era boca livre, veio judeu de tudo quanto foi canto. Se mamãe cobrasse ingresso, corria o risco de nem o papai aparecer. Não precisa dizer que os presentes não trouxeram presentes.

Metade esqueceu em casa e a outra metade disse que não tinha dado tempo de comprar. Coisas da religião.

Cada um que chegava, vinha até o meu bercinho. Quando se abaixavam para me ver mais de perto, virava um autêntico ataque do exército israelense. Contabilizei pelo menos umas 30 narigadas na barriga. Em vez de olharem para os próprios umbigos, vinham olhar pro meu. Acho que era por causa da “faixa de gaze”.

De repente, se fez o silêncio. Um ser estranho, trajando um terno preto pra lá de surrado, com barba até a cintura, chapéu e cabelo ponhonhóin dos lados adentrou a sala. Parecia o Capitão Caverna na versão judaica. Ele veio na minha direção. Tirou um bisturi reluzente. Ficamos frente a frente. Ele, o lobo mau, e eu, o Solidéu Vermelho.

Para que esse nariz tão grande, perguntei. Por uns segundos, cheguei a pensar que mamãe tinha resolvido fazer uma plástica no meu nariz que, com menos de uma semana de vida, já era avantajado. Mas o negócio era mais embaixo. Bem mais embaixo.

Ele tirou a minha fraldinha descartável, que mamãe tinha acabado de lavar, e eu gritei, abri o berreiro: Tira esse Michael Jackson ortodoxo daqui! Esse comunista judeu quer comer criancinha!!! E no rabino, não vai nada? Apesar de tanta tecnologia, buááááá não vem com legenda. Não sei por que ainda não inventaram uma tecla SAP para bebês.

Parti então para a minha última tentativa: um ataque com armas químicas. Soltei duas bombas de efeito moral. PUM! PUM! Mas o bigode do sujeito cobria o nariz como uma máscara antigases. Ataquei com meus jatos poderosos, mas o xixi não conseguiu furar o bloqueio da barba blindada do velho. Não teve jeito. O Jacozinho virou o Jacozinhozinho. Vai entender o que esse povo tem na cabeça, além desse chapeuzinho medonho?

Em vez de sacrificarem uma galinha como na velha e boa macumba, eles sacrificam o pinto. Cortaram o meu pausówsky, meu penisberg. Ficou só o “cara”. O “lho” foi-se. Uma parte de mim estava agora que nem pinto no lixo, literalmente.

Depois de circuncidado, passei a entender o porquê daquele muro das lamentações. Eu, pelo menos, lamento até hoje.

Ó pedaço de mim…

Sammy Lachmann  – Cronista

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MEDICINA DO INTERIOR

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

 

MEDICINA DO INTERIOR

Um velho doutor que sempre trabalhara no meio rural, achou que tinha chegado a hora de se aposentar depois de ter exercido a medicina mais de 50 anos !

Ele encontrou um jovem médico para o lugar dele e sugeriu ao novo
diplomado que o acompanhasse nas visitas domiciliares, para que as pessoas se habituassem a ele progressivamente.

Na primeira casa uma mulher queixou-se que lhe doía muito o estômago.
O velho doutor respondeu-lhe:
– Sabe, a causa provável é que você abusou das frutas frescas… Por que não reduz a quantidade que consome?

Quando eles saíram da casa o jovem disse:
– O senhor nem sequer examinou aquela mulher… Como conseguiu chegar ao diagnóstico assim tão rápido?

– Oh, nem valia a pena examiná-la… Você notou que eu deixei cair o estetoscópio no chão? Quando me abaixei para apanhá-lo, notei que havia meia dúzia de cascas de mangas, um pouco verdes, no balde do lixo. É provável que isso lhe deu as dores. Na próxima visita você se encarrega do exame.

– Humm ! Que esperteza! Eu penso que vou tentar empregar essa técnica.
Na casa seguinte, eles passam vários minutos a falar com uma mulher ainda jovem. Ela queixava-se de uma grande fadiga:
– Eu me sinto completamente sem forças…

O jovem doutor disse-lhe então:
– Você deu provavelmente muito de si  para a igreja… Se reduzir essa atividade, talvez recupere um pouco de sua energia.

Assim que deixaram aquela casa, o velho doutor disse para o novo:
– O seu diagnóstico surpreendeu-me… Como é que chegou à conclusão que aquela mulher se dava de corpo e alma aos trabalhos religiosos?

– Eu apliquei a mesma técnica que o senhor me indicou :
deixei cair o meu estetoscópio e, quando me abaixei para o apanhar, vi  o padre debaixo da cama…!!!

enviada por José Bueno, São Paulo – SP.

 

 

O BODE

quinta-feira, 27 de março de 2014

 

 

Manhã, sul das Minas Gerais……
Em frente a igreja passa uma garotinha conduzindo cabras.
Com esforço a garotinha fazia caminhar o rebanho.
Um padre observava a cena. Começou a imaginar se aquilo não era um caso de exploração de trabalho infantil e foi conversar com a menina.
– Olá, minha jovem. Como é o seu nome?

– Rosineide, seu padre.

– O que é que você está fazendo com essas cabras, Rosineide?

– É pro bode cobrir elas, seu padre. Tou levando elas lá pr’o sítio de seu João.

– Me diga uma coisa, Rosineide, seu pai ou seu irmão não podiam fazer isso?

– Já fizeram… Mas num dá cria… tem que ser um bode  mesmo!

 

Enviada por Roberto Boscarriol, São Paulo – SP.

 

VOVÓ NÃO SABE TUDO…

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Vovó não sabe tudo…

Rebeca tem 9 anos e foi passar uns dias na casa da vovó.

Ela estava brincando na rua com alguns coleguinhas e uma hora entrou em casa perguntando:

Vovó, como se chama aquilo quando duas pessoas dormem no mesmo quarto e ficam uma em cima da outra?

A vovó se assustou com a pergunta, pensou e achou que seria melhor dizer a verdade:

Bem, isso se chama uma relação sexual.

Satisfeita com a resposta voltou para a rua para brincar.

Dentro de instantes ela entra em casa novamente toda esbaforida e diz:

Vovó, aquilo que eu perguntei, se chama BELICHE, e a mãe do Zezinho quer falar com a senhora…

enviada por Luiz Villares, São Paulo – SP>

 

PRÓTESE

terça-feira, 24 de setembro de 2013

 

Um cara sofreu um terrível acidente de carro e seu pênis é

dilacerado e arrancado fora. Inaproveitável!

Seu médico lhe assegura que a medicina moderna poderá trazer o seu

‘pinto’ de volta, através de um transplante, mas o plano de saúde não

cobrirá a cirurgia, pois ela é considerada estética.

O médico acrescenta que os preços da cirurgia são os seguintes:

– R$ 5.000,00 – tamanho pequeno;

– R$ 9.000 ,00 – tamanho médio;

– R$  15.000,00 – tamanho grande.

O homem imediatamente aceita o transplante, ficando, todavia, em

dúvida, somente quanto ao tamanho a ser escolhido, médio ou grande.

O médico, então, o aconselha a conversar com a parte mais

interessada,  a esposa, antes de decidir.

O médico sai da sala para deixá-lo à vontade. O homem telefona para

a esposa e explica toda a situação.

Voltando à sala, o médico encontra o homem profundamente deprimido e pergunta:

– E então, o que você e sua esposa resolveram?

O cara responde:

– Ela prefere reformar a cozinha!

enviado por Roberto Boscarriol, São Paulo – SP.

Cidadania no ar - todos os direitos reservados